Rafaella dezembro 15, 2017 Nenhum Comentário

CRECI/PI firma convênio com faculdade e garante desconto para funcionários e associados

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI) fechou um convênio com a faculdade Estácio CEUT durante um encontro na última quinta-feira (14). Associados, dependentes e funcionários do Conselho terão desconto de 40% nos cursos de graduação e pós-graduação (presencial e distância) da instituição. O contrato foi assinado pelo presidente do CRECI-PI, Nogueira Neto, juntamente com membros da diretoria, e o consultor comercial da faculdade, João Paulo Borges.

Para ter acesso ao benefício, os interessados deverão apresentar a carteira do Conselho e está adimplente. Já os dependentes devem apresentar comprovação de vínculo. O ingresso dos alunos pode ser por meio da nota do Enem, prova agendada, portador de curso superior (em caso de uma segunda graduação) ou transferência.

De acordo com o presidente do CRECI-PI, Nogueira Neto, essa será uma oportunidade para os corretores e demais trabalhadores do Conselho se qualificarem e buscarem novos conhecimentos.

“Sabemos da importância de uma graduação ou de uma pós-graduação para qualquer pessoa que almeja um futuro profissional de sucesso. Esse convênio vai facilitar a entrada deles em uma faculdade que possui cursos excelentes na área imobiliária, enriquecendo ainda mais o seu currículo”, declarou o presidente.

A Estácio CEUT possui cursos em diversas áreas, dentre eles, Tecnólogo em Gestão Imobiliária e especialização em Direito Imobiliário. Os interessados podem acessar site portal.estacio.br e conhecer todos os detalhes.

2

Rafaella dezembro 15, 2017 Nenhum Comentário

Corretores participam de palestra sobre Marketing Digital para o Mercado Imobiliário

Corretores de imóveis lotaram o auditório do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI-PI) na última quinta-feira, dia 14, durante a palestra “Marketing Digital para o Mercado Imobiliário”. O professor Pedro Alexandre Cabral, que ministrou a palestra, compartilhou com os profissionais as ferramentas de vendas e os aplicativos que estão disponíveis nas mídias sociais que auxiliam no dia a dia do trabalho dos corretores.

O presidente do CRECI/PI, Nogueira Neto, comentou o sucesso da palestra e a importância de estar preparado para os novos desafios no cenário imobiliário nessa era digital. “Sabemos da importância de estar sempre a frente e atualizado sobre as novidades do setor imobiliário. Os corretores precisam saber utilizar a tecnologia a seu favor para estar mais próximo do público e obter êxito nas negociações. Fiquei muito satisfeito porque o auditório estava lotado e a repercussão foi muito positiva”, declarou o presidente.

O palestrante convidado é mestre em Comunicação, graduado em Administração e analista de negócios da Infoway. Além disso, tem experiência na área de Marketing e Administração de Sistema de Informação. 

3 4 6 7 8

Rafaella dezembro 11, 2017 Nenhum Comentário

CRECI-PI realizará palestra sobre marketing digital para corretores

As mídias sociais são ferramentas cada vez mais utilizadas no meio digital pelos profissionais que desejam se aproximar do seu público e otimizar o seu negócio. Isso pode ser feito por meio do marketing digital, ações de comunicação que mudaram a maneira como as empresas utilizam a tecnologia na promoção de seus negócios.

Pensando nisso, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI) realizará a palestra “Marketing Digital para o Mercado Imobiliário”, no dia 14 de dezembro, no auditório do Conselho, às 16h. A palestra será ministrada pelo professor Pedro Alexandre Cabral. Ele é mestre em Comunicação, graduado em Administração e analista de negócios da Infoway. Tem experiência na área de Marketing e Administração de Sistema de Informação.

De acordo com o presidente do CRECI/PI, Nogueira Neto, a palestra servirá para os profissionais se atualizarem sobre as novidades do mundo digital e como eles podem utilizar as mídias digitais a seu favor na hora de fechar negócio e no seu dia a dia.

“Queremos levar conhecimento aos corretores de imóveis para que eles saibam utilizar da melhor forma as ferramentas digitais no seu cotidiano de trabalho. O palestrante é qualificado para tirar todas as dúvidas e ensinar tudo sobre marketing digital no setor imobiliário. Precisamos nos modernizar e estar cada vez mais próximos do nosso público”, declarou o presidente.

 

Rafaella dezembro 11, 2017 Nenhum Comentário

Sete pecados que o corretor de imóveis não deve cometer em seu atendimento

Atuando como corretor de imóveis, algumas vezes nos deixamos trair pelo dia-a-dia e pelos pequenos erros que a rotina de trabalho muitas vezes nos impõe. Compartilhamos aqui sete pecados que todo corretor deve estar atendo para não cometer em seus atendimentos:

1 – Não responder e-mail de solicitação de mais informações;

O corretor começa a perder as oportunidades de venda quando por algum motivo deixa de responder uma solicitação de mais informações sobre determinado imóvel no exato momento em que ela chega. O corretor que responde rapidamente surpreenderá seu cliente que talvez ainda esteja online e possa continuar ali uma conversa para um futuro agendamento. Ao passo que o corretor que não responde com urgência pode perder o mesmo cliente para um concorrente.

2 – Telefone da Imobiliária ocupado ou sem atendimento:

O telefone fixo é um sobrevivente entre as ferramentas de prospecção mais antigas utilizadas pelas imobiliárias. Junto com a placa de ‘vende-se’ é uma excelente forma de contato entre quem busca e quem está intermediando uma negociação. Mas mesmo assim, muitas vezes o cliente encontra o telefone ocupado, sem atendimento ou com uma recepcionista que não consegue falar a respeito do imóvel, o que frustra e faz com que a pessoa vá para o próximo imóvel da sua lista.

3 – Não ter atendimento após as 18 horas e aos sábados

Assim como ter o telefone ocupado é frustrante para quem está procurando um novo lar tanto para compra quanto para locação, não encontrar atendimento disponível para os horários em que ele está livre do trabalho é algo imperdoável. A imobiliária que possui um site e atendimento online, de certa forma está aberta 24 por dia, 7 dias por semana e se trabalhar de maneira alinhada à expectativa dos seus clientes, irá se beneficiar disso.

4 – Manter online imóveis que não estão mais disponíveis

Ter um site não é mais uma novidade no mercado imobiliário, longe disso. É possível com baixo investimento conseguir um site personalizável e funcional para divulgar suas captações. Pena que com esta facilidade muitos profissionais acabam com o mantendo online anúncios desatualizados quanto a preço e disponibilidade o que gera muitas reclamações por parte dos usuários.

5 – Não registrar os dados e informações solicitadas pelo cliente

Outro pecado cometido pelo corretor é quando ele atende seu cliente sem atenção ou sem cuidado suficiente para anotar as informações solicitadas sobre o imóvel pelo qual deverá procurar para esta pessoa. E por não tomar cuidado, acaba se perdendo e oferecendo outras ofertas gerando mais uma vez frustração.

6 – Ser um dificultador ao invés de um facilitador

Facilitar a vida de quem está procurando uma moradia é a principal característica de um bom corretor de imóveis. Quando acontece ao contrário, ou seja, o corretor age como um dificultador do negócio, colocando empecilhos para uma visita por exemplo, ele peca em seu atendimento e age contra si próprio.

7 – Subestimar ou julgar o bom gosto, a inteligência e a capacidade de compra do possível cliente

Ao não se organizar a ponto de colher as informações adequadas, ao dificultar os processos de visita e agendamentos que todo cliente busca e necessita, alguns corretores simplesmente tentam enrolar, empurrar qualquer imóvel julgam o bom gosto e a inteligência do seu possível cliente. Ao agir desta maneira, o corretor está enganando a si próprio e não ao cliente, que irá em silêncio buscar um outro ‘intermediador’ para o seu negócio.

É claro que existem ainda muitos outros pecados e pequenos erros que somados, colaboram para que o corretor crie armadilhas contra si próprio, mas o pior deles, é cometer os erros listados e não modificar a forma como se trabalha.

Baseado na experiência pessoal de Diego Simon, co-fundador do portal VivaReal, que ao buscar um imóvel para morar em São Paulo considerou estes pontos no sentido de apontar melhorias no processo de atendimento de corretores e imobiliárias.

Fonte: Viva Corretor

Rafaella dezembro 7, 2017 Nenhum Comentário

Crédito imobiliário deve crescer 15% em 2018 frente a 2017

O financiamento imobiliário com recursos originados nas cadernetas de poupança deve crescer 15% em 2018, revertendo a queda vista em 2017, segundo o presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Gilberto Duarte de Abreu Filho.

O avanço deverá se concentrar nos empréstimos destinados à compra de moradias, enquanto o crédito para a construção de novos empreendimentos tende a continuar lento.

Segundo Abreu, a estimativa de crescimento do crédito está calcada na perspectiva macroeconômica favorável para o próximo ano, mas ele ponderou que a projeção ainda é preliminar e sujeita à revisão em janeiro, quando a entidade divulgará seus números oficiais.

“A perspectiva para o cenário macroeconômico é benigna para 2018”, afirmou o presidente, durante palestra em evento com empresários no Sindicato da Habitação (Secovi-SP).Neste ano, a estimativa é que o crédito oriundo da poupança somará R$ 45 bilhões, fechando o período com retração de 3,5% em relação a 2016.

Fonte: Exame

Rafaella dezembro 4, 2017 Nenhum Comentário

CRECI/PI participa da última plenária federal do ano no RN

Os conselheiros federais Nogueira Neto e Aluísio Sampaio participaram da última plenária do Sistema Cofeci-Creci de 2017, que aconteceu nos dias 30 de novembro e 1° de dezembro no Rio Grande do Norte.

De acordo com o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI), a última plenária federal proporcionou discussões importantes acerca das ações para o ano de 2018. “Neste último encontro do ano discutimos o valor da anuidade e o orçamento para o ano que vem, além da resolução regulamentando as Câmaras de Mediação A valorização e capacitação da profissão de corretor e a ampliação da fiscalização por todas as regiões brasileiras também foram abordadas durante a plenária”, destaca.

A programação da sessão plenária do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) também incluiu a realização do I Seminário de Inteligência Imobiliária e a entrega do título de cidadão norte-rio-grandense ao presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), João Teodoro da Silva e ao presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Rio Grande do Norte (Creci-RN), Waldemir Bezerra de Figueiredo.

WhatsApp Image 2017-12-04 at 19.07.31 WhatsApp Image 2017-12-04 at 19.06.39 WhatsApp Image 2017-12-04 at 19.06.59 WhatsApp Image 2017-12-04 at 19.07.17

Rafaella dezembro 4, 2017 Nenhum Comentário

5 Dicas para melhorar o desempenho na estratégia digital de sua imobiliária

Ao decidir utilizar a internet e o marketing digital como principal forma de prospecção e atendimento a clientes para sua imobiliária, muitos corretores ou gestores imobiliários, ficam chateados por não conseguir resultados suficientes para gerar vendas.

Esta insatisfação acontece porque, por mais que se tente inovar, ser pioneiro em diversas tecnologias e destinar toda sua verba de marketing para os canais de mídia online, pequenos cuidados não são tomados no seu dia a dia, comprometendo o resultado no final do processo.

Compartilho neste post 5 dicas que que podem fazer parte do seu dia a dia e fazer o seu seu negócio imobiliário de decolar de vez.

  1. Faça Uma Avaliação Coerente Do Estágio De Desenvolvimento De Sua Imobiliária

Por mais que você tenha consciência dos benefícios da utilização da internet e de ferramentas digitais para melhorar a sua performance e de sua equipe, de nada vai adiantar você comprar um drone para oferecer imagens aéreas de sua carteira de imóveis ou um aplicar um lindo e caro tour virtual se você não possui processos de gestão imobiliária básicos e bem estabelecidos.

E por processos básicos estou dizendo desde a maneira como seus imóveis estão cadastrados no seu CRM até a utilização do e-mail corporativo por parte do time de vendas. Não tenha vergonha de autoavaliar seu negócio e de rever etapas antes de investir em uma tecnologia que ainda não é a mais adequada ao seu estágio de desenvolvimento. Isso vai poupar um bom dinheiro e evitará frustrações também.

  1. Invista Na Organização Das Informações Básicas De Sua Carteira

Se você olhou para dentro do seu negócio e corajosamente descobriu qual o estágio de desenvolvimento de sua empresa, provavelmente descobriu seu ponto mais fraco. Pode ser sua maneira de escrever anúncios, a qualidade das fotos, a utilização do seu software CRM no qual você investiu um bom dinheiro para implantar mas sua equipe não utiliza quase nada dos recursos.

Seja qual for o seu ponto fraco, invista tempo e se necessário dinheiro no desenvolvimento de pontos básicos de sua estratégia digital. Costumo dizer que investir na estrutura básica de uma imobiliária é como criar o alicerce para uma sólida construção. Sem ele é melhor nem começar ou se necessário, começar de novo para garantir resultados de qualidade em médio e longo prazo.

  1. Estabeleça Metas Claras E Objetivas Para Seu Site

É preciso dedicação e empenho para que um site tenha visibilidade crescente e possa gerar cada vez mais novos pedidos de ‘mais informações’ sobre sua carteira de imóveis. Essa responsabilidade não pode ser apenas da agência ou do desenvolvedor contratado. É você, gestor, quem precisará tomar as rédeas e entender quais as principais métricas que deverão ser acompanhadas.

 

Estabeleça metas claras e objetivas de acompanhamento, como o crescimento mensal do número de acessos, a quantidade de contatos gerados e canais de origem de tráfego. São simples de acompanhar e permitem que você entenda melhor, entre outras coisas, sua capacidade de conversão.

  1. Amplie As Habilidades Da Sua Equipe De Corretores

Todo o investimento que você dedicou na criação de canais digitais tem um objetivo: aumentar a possibilidade de vendas de sua equipe de corretores. Mas esse empenho será em vão se o seu time não entender ou não ficar sabendo de cada nova ferramenta ou canal implantados.

Por isso inclua treinamentos e bate-papos sobre cada um dos canais implementados, faça isso com o objetivo de incentivar a criação de uma cultura digital na sua empresa e também como forma de ampliar as habilidades de sua equipe.

  1. Conclua O Que Foi Planejado

Por fim, toda ação de marketing digital requer tempo para gerar resultados. Ainda que alguns canais possam gerar resultados imediatos, apenas a utilização efetiva no médio e longo prazo trará os benefícios esperados.

Assim, se você deu início a um blog falando a respeito da sua área de atuação ou um canal de vídeos no YouTube para mostrar os diferenciais da sua empresa e não adquiriu uma rotina de postagens de modo a fazer disso um canal efetivo, pode estar correndo o risco de perder credibilidade junto à equipe quando pretender criar um canal novo.

Conclua sempre o que foi planejado, tanto para poder iniciar novos ciclos dentro da sua empresa, quanto para aproveitar os benefícios que determinado canal digital pode gerar para o seu negócio.

 

Fonte: Publicidade Imobiliária

Rafaella novembro 28, 2017 Nenhum Comentário

Conheça os prós e contras da Reforma Trabalhista para o Mercado Imobiliário

A reforma trabalhista deve refletir positivamente no mercado imobiliário, dando maior previsibilidade aos empresários para retomarem projetos. Isso porque quando o empresário tem dúvidas sobre o futuro da economia do País, ele fica com medo de fazer contratações, já que encargos sociais do trabalhador geram um alto custo na cadeia produtiva.

“A grande vantagem da reforma é poder contratar pessoas com risco reduzido. O patrão pode negociar diretamente com o empregado, por exemplo, uma redução de salário com manutenção do emprego. E quando a economia voltar a crescer o contrato é novamente ajustado”, explica o economista Eduardo Velho.

Para o economista Ricardo Valério da Costa Menezes, a reforma trabalhista impulsona o mercado imobiliário, especialmente pela geração de empregos na construção civil. “Em função das diversas modalidades de contratação de mão de obra. Porque muitas vezes a construção civil precisa contratar por sazonalidade, em um período do ano, e vai poder fazer contratos intermitentes”.

Especialista em Direito Imobiliário, o advogado Fernando Zito diz que a legislação trabalhista vigente (a nova entra em vigor em novembro) é antiga e ultrapassada. Para ele, a reforma trará importantes novidades. “A principal vantagem é a negociação entre patrão e empregado. Já a desvantagem, para os trabalhadores, será a falta de representatividade nas negociações”.

Na contramão das opiniões, o economista José Pascoal Vaz acredita que a reforma trabalhista vai fragilizar o trabalhador e afetar a venda de imóveis. “O comprador em potencial vai perder salário e a maior facilidade em ser demitido vai amedrontá-lo em financiar a longo prazo. Já o trabalhador da construção vai ser terceirizado e demitido mais facilmente e seu salário vai diminuir”.

Fonte: ZAP Pro

Rafaella novembro 20, 2017 Nenhum Comentário

Plantão de vendas perde espaço para a internet

O plantão de vendas vem perdendo espaço para a internet, o que vai forçar uma atualização no mercado, dizem especialistas. Os corretores de imóveis precisam estar atentos às novidades para não perderem negócios.

Apesar de acreditarem que o plantão deixará de ser essencial, os especialistas ressaltam que alguns clientes ainda gostam do contato com o corretor e de ver os imóveis decorados. Segundo o consultor empresarial Edvaldo Corrêa, o plantão de vendas, como funciona hoje, dará lugar a uma central de negócios. É o que já acontece em alguns lugares.

“Os profissionais do mercado imobiliário poderão usufruir de uma estrutura para melhorar o relacionamento com os clientes e fechar o negócio. Algumas imobiliárias, mesmo as menores, já têm criado decorados dentro da própria sede para receber os visitantes”.

Corrêa ressalta que os corretores, sejam eles novos ou mais experientes, devem aproveitar esses espaços oferecidos pela empresa para criar um relacionamento com o cliente e traçar estratégias individuais.

“Na prática, os clientes raramente vão ao plantão, porque o processo de compra de um imóvel passa, de fato, pela prospecção na internet. A central de vendas é mais um dos canais onde o profissional pode sanar as dúvidas do comprador, apresentar o decorado e fechar o negócio”.

Internet

De acordo com Emerson Pereira, consultor de marketing imobiliário digital, pode até ser positivo para um corretor iniciante estar em um plantão de vendas. Isso faz com que ele adquirira experiência e coloque em prática técnicas de persuasão. Mas o importante é ficar ligado na internet.

“Acho que o plantão é válido, desde que se crie um relacionamento prévio com o potencial cliente através da internet. Isso pode ser feito através de interação por e-mail, redes sociais ou posicionamento da construtora na primeira página do Google”.

Pereira explica que através da web, o profissional pode mensurar os horários de maior busca, que tipo de imóvel gerou mais interesse e o perfil dos clientes, por exemplo.

“Na internet, se uma estratégia ou campanha não estiver surtindo o efeito desejado, ela pode ser alterada rapidamente. Isso já não ocorre quando é feita uma publicidade em jornal, outdoor, revistas e outras mídias”.

Fonte: ZAP Pro

Rafaella novembro 17, 2017 Nenhum Comentário

Moradia popular puxa recuperação do mercado imobiliário

As empresas de construção que desenvolvem moradias populares, enquadradas no Minha Casa, Minha Vida, têm puxado a recuperação do mercado imobiliário.

Direcional, MRV e Tenda responderam por dois terços dos lançamentos e das vendas do terceiro trimestre entre as 11 incorporadoras listadas na Bolsa. Juntas, as três lançaram empreendimentos com valor de vendas estimado em R$ 2 bilhões, um crescimento de 55,5% na comparação anual. As vendas no período totalizaram R$ 2,1 bilhões, avanço de 23,5%.

“O protagonismo da faixa popular na recuperação acontece sobretudo por causa do crédito. Os empreendimentos mais baratos, do Minha Casa, Minha Vida, têm acesso a crédito mais em conta. Os juros altos no passado recente praticamente inviabilizavam o financiamento”, diz Pedro de Seixas, pesquisador da Fundação Getulio Vargas (FGV) e especialista em negócios imobiliários.

Em São Paulo, imóveis com preços até R$ 240 mil lideraram em quase todos os indicadores de agosto, aponta o Secovi-SP (entidade do setor). No País, dados da Abrainc (associação de incorporadoras) mostram que as vendas de imóveis novos do Minha Casa, Minha Vida até agosto somaram 41,7 mil unidades, 23,6% mais que no mesmo período de 2016. Foram 33,4 mil lançamentos, alta de 13%.

O copresidente da MRV, Eduardo Fischer, reitera a perspectiva de mais lançamentos e vendas em 2018. Ele também avalia que há boa disponibilidade de recursos para financiar a compra de imóveis com juros baixos, ao contrário do restante do mercado. “As sinalizações do governo são de que a habitação popular é prioridade.”

Já a Direcional avalia que ainda existe grande diferença no desempenho de cada ramo. Tanto o médio quanto o alto padrão sofrem com distratos, juros altos e baixa demanda. Diante disso, a companhia abandonou novos projetos nesse mercado. Mas no de moradias populares, a trajetória continua positiva.

No grupo das empresas focadas tanto no médio quanto no alto padrão – Cyrela, Even, Eztec, Gafisa, PDG, Rossi, Rodobens e Tecnisa – o resultado na Bolsa foi mais modesto. Os lançamentos atingiram R$ 1,27 bilhão, alta de 4,6%. Já as vendas subiram 42,4%, para R$ 1,39 bilhão. As incorporadoras conseguiram aumentar lançamentos e vendas no terceiro trimestre, além de diminuir o tamanho do rombo financeiro, o que sinaliza uma inflexão no mercado imobiliário após anos de crise.

Sair do vermelho, entretanto, é algo esperado só para meados de 2018, segundo empresários. Eles avaliam que o setor ainda depende de um avanço mais consistente da economia brasileira e da confiança dos consumidores para impulsionar as vendas e reduzir os estoques.

O vice-presidente de Habitação Econômica do Secovi-SP, Rodrigo Luna, ressalta que o crescimento do setor depende da volta do emprego e da retomada da renda. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Exame