Rafaella dezembro 18, 2019 Nenhum comentário

Saiba como se planejar para adquirir a casa própria

O sonho da casa própria é um desejo compartilhado por muitos brasileiros. Porém, para quem deseja sair do aluguel é fundamental um bom planejamento financeiro e um orçamento bem definido para garantir a aquisição da casa própria. Por se tratar muitas vezes de um grande investimento é necessário adotar alguns cuidados antes de efetuar a compra do imóvel.

Para o corretor de imóveis Inácio Guimarães é fundamental que o cliente se planeje da melhor forma antes de decidir pela compra de determinado imóvel. “Comprar uma casa é o desejo de todos, por isso é importante que o cliente primeiro analise a sua renda e seus gastos para saber se aquele preço se encaixa na sua realidade financeira. Outro importante fator é o consumidor procurar as instituições financeiras que disponibilizam financiamento para fazer uma planilha de projeções junto ao banco, que incluam pontos como valores das parcelas, financiamentos e juros. Esses são pontos que devem ser levados em consideração por quem está planejando a aquisição de um imóvel”, destaca o corretor.

Segundo um levantamento realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), as vendas de imóveis no segundo trimestre de 2019 apresentaram um aumento de 16% em relação ao mesmo período de 2018. Já em relação ao semestre, o aumento atingiu a marca de 12,1%.

O mercado imobiliário para os próximos cinco anos apresenta boas perspectivas de diminuição das taxas de juros, maiores garantias jurídicas e melhores condições de financiamentos. Tais fatores, se confirmados, serão importantes mecanismos para o gradativo reaquecimento do mercado com lançamento de novos empreendimentos.

Apesar de ter enfrentado alguns anos de crise, o mercado aos poucos vem passando por um processo de retomada do setor. Assim, as principais tendências para 2020 devem ser o aumento do investimento em tipos de financiamentos imobiliários, variedade de ofertas de crédito, valorização de imóveis e aumento de vendas online. Além disso, outras tendências importantes são o maior otimismo dos consumidores e investidores, preocupação com sustentabilidade, uso racional de recursos e uso de inovações tecnológicas.

“Nossa expectativa é bastante animadora, pois estamos passando por um momento de recuperação de mercado, onde a redução dos juros e as novas possibilidades de financiamento vão ser determinantes para o lançamento de novos empreendimentos e incremento nas vendas. A diminuição do desemprego é outro fator que pode contribuir para a aquisição da casa própria, uma vez que as pessoas ao terem empregos formais consequentemente terão mais possibilidades para adquirir sua residência por meio de financiamento ”, disse o presidente do Creci-PI, Nogueira Neto.

Rafaella dezembro 16, 2019 Nenhum comentário

COFECI divulga valores da anuidade para o exercício de 2020

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI) informa aos credenciados que já estão disponíveis os novos valores da anuidade para o exercício de 2020. Os valores foram estabelecidos pela resolução COFECI N°1.426/2019 e serão atualizados pelo IPCA, nos termos do art. 16, §§ 1° e 2° da Lei n°6.530/78.

Para 2020, as anuidades para Pessoa Física e Empresário Individual (Empresa individual) será cobrada no valor de R$ 652,00 (seiscentos e cinquenta e dois reais). Já para Pessoas Jurídicas, o mesmo será cobrado de acordo com os seguintes níveis de Capital Social:

 

Capital Social                                                                              Anuidade  

De R$ 0,01 até R$ 50.000,00                                                      R$ 1.304,00

De R$ 50.001,00 até R$ 100.000,00                                           R$ 1.630,00

De R$ 100.001,00 até R$ 150.000,00                                         R$ 1.956,00

De R$ 150.001,00 até R$ 200.000,00                                         R$ 2.282,00

Acima de R$ 200.000,00                                                             R$ 2.608,00

 

No ato da inscrição, a anuidade será cobrada proporcionalmente aos meses faltantes do exercício em curso. O pagamento da contribuição anual, se integral, deverá ser efetuado até o dia 31 de março do ano corrente.

Caso o credenciado opte por realizar o parcelamento das anuidades em até cinco vezes mensais, o mesmo deverá ser requerido até o dia 14 de janeiro (terça-feira), onde o vencimento da primeira parcela será em 15 de janeiro (quarta-feira). Se desejar parcelar em até quatro vezes mensais, a solicitação deverá ser feita até o dia 14 de fevereiro (sexta-feira) e o vencimento da primeira parcela será em 17 de fevereiro (segunda-feira). Por fim, em até três parcelas mensais, o requerimento deverá ser feito até o dia 13 de março (sexta-feira) e o vencimento da primeira parcela será em 16 de março (segunda-feira).

O recebimento da contribuição anual por meio de cartão de crédito, pode ser feito de acordo com os seguintes parâmetros:

 

  1. Pagamento até 15/01/2020, permitido o parcelamento em até 10 vezes
  2. Pagamento até 15/02/2020, permitido o parcelamento em até 9 vezes.
  3. Pagamento até 15/03/2020, permitido o parcelamento em até 8 vezes.
  4. Pagamento até 15/04/2020, permitido o parcelamento em até 7 vezes.
  5. Pagamento até 15/05/2020, permitido o parcelamento em até 6 vezes.
  6. Pagamento até 15/06/2020, permitido o parcelamento em até 5 vezes.
  7. Pagamento até 15/07/2020, permitido o parcelamento em até 4 vezes.
  8. Pagamento até 15/08/2020, permitido o parcelamento em até 3 vezes.
  9. Pagamento até 15/09/2020, permitido o parcelamento em até 2 vezes.

 

Caso o pagamento das contribuições anuais do exercício vigente a Pessoas Físicas, Jurídicas e Empresários Individuais (Empresas individuais), seja feito de forma integral será obedecido os prazos e percentuais a seguir:

 

  1. Pagamento integral até 15 de janeiro Desconto de até 10% (dez por cento);
  2. Pagamento integral até 15 de fevereiro Desconto de até 6% (seis por cento);
  3. Pagamento integral até 15 de março Desconto de até 4% (quatro por cento).

 

O pagamento dos boletos de anuidades e taxas devem ser feitos obrigatoriamente no Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal. Em breve, os mesmos estarão disponíveis exclusivamente  no site da entidade.

Rafaella dezembro 13, 2019 Nenhum comentário

Sistema Cofeci-Creci lança novos softwares e aplicativos

Celso Pereira Raimundo, recentemente nomeado diretor da área de inovação e tecnologia do Conselho Federal dos Corretores de Imóveis (Cofeci), apresentou durante a Reunião Plenária realizada no último dia 29, em Curitiba, a Carteira Digital do Corretor de Imóveis (Icorretor) e um novo programa para o Recadastramento Nacional, a ser realizado pelo Sistema Cofeci-Creci em 2020. Um dos benefícios destas ferramentas online é disponibilizar informações sem que o profissional precise se deslocar ao Conselho Regional de Corretores de Imóveis do seu estado.

Celso tem uma trajetória profissional ativa no mercado imobiliário brasileiro e internacional, além de ser pioneiro em educação à distância neste setor. Ele participou de diversos eventos ligados à tecnologia no setor e por isso ficou responsável pelo planejamento estratégico desta área que já tem as ações programadas mês a mês. Seu objetivo como diretor de tecnologia e inovações é ajudar o Cofeci a ampliar o relacionamento com o mercado imobiliário através de novos softwares, além de conhecer e estudar as inovações do mercado, conferindo a chancela apenas para as que contribuem efetivamente para o Corretor de Imóveis.

Diante de tantos novos aplicativos e portais, o Sistema Cofeci-Creci vem se mantendo atento e atuante nesta área, seja no desenvolvimento de novas ferramentas ou no apoio e fiscalização sobre as que de alguma maneira estimulam a atuação ilegal da profissão. Sobretudo em função da necessidade de se aproximar ainda mais dos Corretores de Imóveis mais jovens (millenials e gerações xyz), que são hard users. “É humanamente impossível dispensar a evolução da juventude no mercado imobiliário e, principalmente, na tecnologia”, destaca Celso Raimundo.

Segundo uma pesquisa realizada pela CETIC (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação), ligado ao Comitê Gestor da Internet do Brasil, o número de pessoas que acessam a internet cresce a cada ano, atingindo 77% da população (dados de agosto de 2019), sendo que 97% navegam pelo celular. Já na plataforma de análises de busca do Google, o GTrends, a procura por imóveis na internet, que em dezembro de 2018 era de 69 pontos, atingiu 73 pontos em  novembro deste ano, demonstrando o crescimento da demanda através da web.

Estes dados comprovam a necessidade do mercado imobiliário tornar-se digital, o que inclui os serviços do Sistema Cofeci- “Embora o avanço do setor na área tecnológica ocorra conforme o esperado é necessário um upgrade dos sistemas e softwares. Por isso incentivaremos o dialogo para aperfeiçoamento das ferramentas disponibilizadas”, completa.

A criação dos novos programas nasceu da necessidade de administração dos dados cadastrais e do desenvolvimento de tecnologias para um upgrade permanente, que facilite o trabalho dos Corretores de Imóveis. “Desta forma, será possível recomendar o que é benéfico ou não para o mercado, pois é visível o rumo que os negócios estão tomando, não somente os imobiliários, mas também de outros setores, que passarão cada dia mais, pela internet”, diz Celso Pereira Raimundo.

As ferramentas lançadas estarão disponíveis no Portal da Transparência e no site oficial do Cofeci no início de 2020.

Sobre Celso Pereira Raimundo: foi presidente por quatro mandatos consecutivos do Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 11ª Região – Santa Catarina de 1982 a 1994; Conselheiro Federal e por dois mantados Secretário Geral, diretor de Relações Internacionais do Cofeci – tendo participado da fundação da Confederação do Mercado Imobiliário do Mercosul e Chile (hoje conhecida como SILA – Confederação do Mercado Imobiliário Latino América), além de representar o Brasil (através do Cofeci) em diversos eventos internacionais do setor com destaque para a National Association of Realtor (NAR).

Sobre o Sistema Cofeci-Creci: Composto por um Conselho Federal e 25 Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis em todo o Brasil que têm a função de normatizar e fiscalizar uma profissão de grande relevância para o desenvolvimento da nação. O Sistema funciona sob a  égide da lei 6.530, de 12 de maio de 1978 e engloba cerca de 380 mil Corretores de Imóveis e 46 mil empresas de intermediação de negócios imobiliários. Outras informações:  http://www.cofeci.gov.br

Rafaella dezembro 12, 2019 Nenhum comentário

CRECI-PI participa de lan?amento da Central Eletr?nica de Registro de Im?veis do Piau��?? ??

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI-PI), Nogueira Neto, participou da solenidade de lançamento da Central Eletrônica de Registro de Imóveis do Piauí (CERIPI). O evento contou com a presença de representantes da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Piauí (ANOREG/PI), registradores de imóveis, autoridades e representantes de classe.

Nogueira Neto afirma que a central de registro vai ser um importante meio para dar uma maior celeridade para a emissão de documentos. “A plataforma é fundamental para a sociedade, uma vez que vai baratear o valor da certidão e também diminuir os prazos de entrega. Com a iniciativa, as pessoas não terão mais a necessidade de se dirigir ao cartório, pois agora vão ter a possibilidade de solicitar os documentos de forma online. Isso é muito salutar para o mercado imobiliário e para a sociedade piauiense”, pontuou o presidente do CRECI/PI.

nogueira

Após o lançamento da central, foi realizado um treinamento para os registradores conhecerem os detalhes do novo sistema. A plataforma deve entra no ar em fase de teste em janeiro de 2020, por meio endereço eletrônico: www.ceripi.com.br.

“Hoje lançamos oficialmente a central de registros eletrônicos que vem para facilitar a vida dos usuários, no momento em que precisar solicitar um serviço o mesmo poderá utilizar a plataforma e requerer o serviço que deseja. A plataforma possibilita que o usuário gere os boletos para pagamento e a emissão de documentos, tudo de forma mais rápida. Vivemos em um meio digital e nada melhor do que se adequar as necessidades do mercado”, disse a presidente da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Piauí (ANOREG/PI), Fernanda Sampaio.

Rafaella dezembro 10, 2019 Nenhum comentário

CRECI discute novas tendências do mercado imobiliário para 2020

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI-PI), por meio do presidente Nogueira Neto, participou do Workshop “2020 – A Grande Virada do Mercado Imobiliário. O evento discutiu as principais tendências do mercado imobiliário, estratégias para retomada do setor e os principais lançamentos para o próximo ano.  

auditório

O presidente Nogueira Neto ministrou a palestra “Ética na venda de imóveis”, onde abordou sobre os principais pontos da cartilha que rege os princípios dos corretores de imóveis. “O nosso Conselho possui um código de ética que é fundamental que os corretores possam segui-lo à risca. Somente assim, a nossa profissão será cada vez mais digna e mais grandiosa. O nosso código de ética é bastante interessante, uma vez que norteia todos os princípios que os profissionais devem cumprir para serem bons corretores”, destacou. 

Nogueira

Ainda durante o evento, tivemos uma importante discussão sobre “Marketing digital e vendas”. O bate-papo foi conduzido pelo gerente comercial da LDG incorporadora, Antônio Cruz. “Trabalho no mercado imobiliário há mais de 10 anos e hoje é fundamental que a gente esteja atento as novas possibilidades que o mundo digital nos oferece. O mercado voltou a aquecer e isso é fundamental para a retomada das vendas. Hoje a internet oferece inúmeros caminhos que precisamos incorporar no nosso trabalho, assim como muitas empresas já estão fazendo”, disse.

O Workshop ainda contou com a palestra “Incorporação Imobiliária”, ministrada pelo CEO da LDG incorporadora, Ricardo Loureiro, que destacou que o evento teve o intuito de aproximar os corretores aos idealizadores dos empreendimentos. “ Isso é importante para que eles conheçam como a gente pensa, a concepção de um produto imobiliário ou mesmo os bastidores que envolve a aquisição de um terreno, preparação de uma incorporação imobiliária e a modelagem do produto.  Na oportunidade, também compartilhamos informações que o corretor necessita fazer sobre o mercado, por exemplo incorporação imobiliária, legislação pertinente e como ele pode se preparar para melhorar sua argumentação para que ele tenha um melhor resultado no mercado”, pontuou Ricardo Loureiro. 

Rafaella dezembro 5, 2019 Nenhum comentário

CRECI-PI promove simpósio de Direito Imobiliário em Picos 

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI/PI), em parceria com a OAB-PI, Subseção de Picos, realizou o I Simpósio de Direito Imobiliário. O evento contou com apoio da JC IMOBILIÁRIA e do Delegado regional de Picos, Sr. João da Cruz.

Participaram do seminário corretores de imóveis, advogados e acadêmicos de Direito. Os presentes tiveram a oportunidade de debater importantes temas da área, como as “Perspectivas do Corretor de Imóveis no Mercado Imobiliário, conduzida pelo presidente do CRECI-PI, Nogueira Neto e “Networking para Corretores de Imóveis e Advogados” que foi ministrada pelo diretor pedagógico do CRECI-PI, Inácio Antônio. 

Na ocasião, ainda foram ministradas as palestras “Repensando o Direito Imobiliário”, apresentada pela advogada Patrícia Pinheiro e “A nova lei do distrato e as alterações nos contratos de loteamento e incorporação imobiliária”, conduzida pelo palestrante Emídio Borges.

O presidente do CRECI-PI, Nogueira Neto, destaca a importância do evento para a qualificação dos profissionais que atuam no mercado imobiliário. “Há algum tempo temos essa parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil, onde já realizamos eventos dessa natureza que são muito bem avaliados. E achamos interessante realizar também na cidade de Picos por entender que eventos dessa natureza são importantes para fornecer informações e qualificação para os profissionais do nosso mercado”, destacou Nogueira Neto.   

Rafaella dezembro 2, 2019 Nenhum comentário

Redução de juros pode dar acesso a crédito imobiliário a 2,8 milhões de famílias

O novo ciclo de juros básicos mais baixo anima o mercado imobiliário, que começa a ver sinais de recuperação e já faz apostas de resultados melhores para o próximo ano.

Com o corte na Selic, que atingiu a menor patamar desde 1999, o crédito imobiliário também ficou mais barato, acompanhando as reduções na taxa básica, hoje em 5%.

Os juros médios do crédito para o setor ficaram, em setembro deste ano, em 8,65% ao ano, batendo a mínima da série histórica do Banco Central.

A redução desses juros pode permitir a inclusão de milhares de mutuários no sistema de crédito.

Estudo divulgado pela Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) calcula que a cada ponto percentual de redução nos juros imobiliários, pelo menos 2,8 milhões de famílias passariam a ter condições de contratar esse tipo de crédito.

O cálculo considera o potencial de acesso ao financiamento imobiliário ao reduzir o custo total da operação e o valor da parcela inicial.

Na compra de um imóvel de R$ 300 mil, que atende o segmento chamado de médio alto padrão, o MAP, a Abrainc estima um aumento de 20% no número de famílias elegíveis ao crédito a cada 1% de redução na taxa de juros.

Atualmente, com os juros na faixa dos 8%, 4,4 milhões de famílias elegíveis a pegar dinheiro emprestado para a compra da casa própria. Em 7%, esse número subiria a 5,3 milhões e chegaria a 7,2 milhões se os juros chegassem a 5%.

Esse segmento é o que registrou o maior avanço (19%) no volume de lançamentos até agosto, último mês do indicador calculado pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Entre as 20 incorporadoras associadas à Abrainc, o Minha Casa Minha Vida ainda é responsável por mais de três quartos dos lançamentos. O mês de agosto foi o melhor desde 2015, “corroborando a alta confiança dos empresários do setor”, diz a associação.

Para a habitação popular, o potencial de inclusão de famílias pode chegar a 2 milhões se houver redução nos juros. As famílias elegíveis a conseguir crédito para financiar um imóvel de R$ 150 mi chegariam a 15,1 milhões se as taxas médias saíssem da faixa de 8% e caíssem para 7%.

NA PLANTA: O imóvel em construção permite o parcelamento da entrada. Mas depois é preciso ter certeza de que o comprador vai conseguir arcar com o financiamento imobiliário e as parcelas intermediárias.

A Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) apresentou os indicadores do terceiro trimestre deste ano e reforçou o otimismo do mercado. Os lançamentos de unidades residenciais cresceram 23,9%, e as vendas, 15,4%, na comparação com o mesmo período em 2018.

O estudo da Abrainc apresenta outros cinco indicadores para demonstrar os motivos para o otimismo do setor, que são os resultados de vendas na região metropolitana de São Paulo, a concessão de alvarás na capital paulista, o resultado do PIB do setor, o volume de crédito imobiliário contratado e a geração de empregos na construção civil, todos em alta.

Em todos os casos, a associação das incorporadoras aponta uma correlação entre os momentos em que o setor reage com as taxas de juros mais baixas.

No caso das vendas de imóveis na região metropolitana, a Abrainc acredita que “o cenário de queda de juros atual será uma grande alavanca para um ciclo de crescimento no mercado imobiliário nos próximos anos.”

Segundo o estudo, ao menos desde janeiro de 2014 o volume de vendas estava em trajetória descendente. A partir do início do ano passado, a curva de imóveis comercializados começa a subir, encontrando o traçado de queda nos juros básicos.

Em outro indicador, o dos alvarás de construção, a Abrainc diz que o resultado recordista em setembro, com 881 concessões, ocorre na sequência do corte da Selic. Com exceção de dois momentos nos quais houve uma disparada nos pedidos —em 2010, com a mudança de patamar no Minha Casa Minha Vida, e em 2014, antes da entrada em vigor no plano diretor, o volume de autorizações só cresce quando os juros estão em queda.

A Abrainc considera o resultado dos alvarás um indicador da movimentação do mercado na capital nos próximos anos. O aumento nos últimos meses, diz, é puro, sem fatores externos que tenham turbinado o setor.

O setor da construção civil criou 7,2 mil empregos com carteira assinada em outubro e acumula 124 mil postos de trabalho mantidos desde janeiro. O resultado para o mês é particularmente positivo, quando se considera que houve a manutenção de 560 vagas em 2018 e cortes entre 2012 e 2017.

No setor serviços, o subgrupo que trata da administração de imóveis ficou com saldo positivo em 14 mil empregos.

Fonte:  Folha de S. Paulo