Rafaella agosto 30, 2019 Nenhum Comentário

Dia do Corretor é comemorado em Picos

Na última terça-feira (27), a Delegacia do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI) da cidade de Picos(PI) promoveu um momento de confraternização com a categoria em comemoração ao Dia do Corretor de Imóveis. O evento foi ocorreu no Restaurante o Gaudêncio e contou com a participação de vários corretores que atuam na região.

Na comemoração, os corretores de imóveis foram agraciados e felicitados pelo seu dia, e em seguida foi aberta a sessão solene para a entrega das Carteiras dos Corretores e do Diploma de Conclusão do Curso em Técnico de Transações Imobiliárias (TTI). Foram empossados quatro novos corretores, são eles: Evaldo dos Santos Osório, Manoel Borges Moura, Domingo Sávis de Macêdo e Antônio Marcos Gonçalves Nunes (Toinho de Chicá).

capa

O delegado Regional do CRECI na cidade Picos, João da Cruz, ressaltou a importância do evento para a união da categoria e fortalecimento do mercado.  “Nesse evento parabenizamos os corretores pelo Dia do Corretor e também é um momento de interagirmos, começar a discutir negócios, parcerias, pois é muito difícil conseguir reunir a categoria e hoje estamos aqui reunidos nesta confraternização. Esse é um momento de muita alegria em que celebramos nosso dia”, disse.

03

Os corretores que participaram do evento parabenizaram a organização da encontro e comentaram alegria que foi prestigiar. Pedro Alcântara, empresário do ramo de corretagem comentou a importância da profissão em sua vida. “Vim para esse encontro porque atuo como corretor de imóveis. Comecei a minha carreira como corretor desde muito cedo e é muito bom comemorar com os colegas. Foi muito interessante e bonito esse momento preparado para todos nós”, afirmou.

A comemoração também foi prestigiada por vários outros corretores de imóveis, além da presença de seus familiares e amigos.

Com informações e fotos: Portal Folha Atual

Rafaella agosto 30, 2019 Nenhum Comentário

CRECI-PI participa do I Simpósio de Direito Imobiliário do Litoral do Piauí

Na última quarta-feira (28), o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI) marcou presença no I Simpósio de Direito Imobiliário do Litoral do Piauí, realizado na sede da Subseção da OAB/Parnaíba. O evento teve como convidados os palestrantes o presidente do CRECI-PI, Nogueira Neto e a Drª Patrícia Pinheiro, advogada e Assessora Jurídica de Imobiliárias, Condomínios e Empresas Administradoras de Imóveis.

O simpósio, organizado pela Subcomissão do Direito Imobiliário da OAB/Parnaíba, contou com duas palestras de suma importância para os profissionais da área. O presidente do CRECI,  Nogueira Neto, abordou o tema “A profissão de Corretor de Imóvel e as Perspectivas do Mercado Imobiliário no Litoral do Piauí”. Ele pontuou que agosto é o mês do advogado e do corretor de imóvel, e advém dessa informação a coincidência e a importância do evento. Nogueira ainda destacou sobre como a profissão de corretor de imóveis surgiu, relacionando com a história do Brasil e a vinda da família imperial para o país, momento esse que marcou o início do exercício da profissão de corretor de imóveis.

NOgueira

“Nossa profissão está cada vez mais ganhando valor e credibilidade. E muito advogado hoje é também corretor de imóveis”, disse. Ele reforçou ainda o comprometimento que os corretores devem ter na profissão, por meio de qualificações profissionais e fidelidade aos clientes. Nogueira Neto também enfatizou que a cidade de Parnaíba é um grande destaque no setor imobiliário, e isso se reflete bastante no crescimento da cidade, que possui um grande número de estudantes e também conta com as perspectivas que se abrem para o turismo.

A Drª Patrícia Pinheiro, que ministrou a palestra “Repensando o Direito Imobiliário: Locação-Vendas – Condomínio”, abordou as etapas de crescimento do setor imobiliário e a abertura para o advogado corretor. “O corretor é importante na vida da população porque ele realiza sonhos, no momento em que a pessoa usa o que ganhou durante a vida para comprar a casa própria e é o corretor quem realiza esse sonho”, disse Patrícia, explanando a importância do trabalho em parceria entre o corretor de imóveis e o advogado: “porque o mercado imobiliário cresceu muito para a área de advocacia”, pontuou.

A advogada Alinne Gibson, vice-presidente da Subcomissão de Direito Imobiliário da OAB/ Parnaíba, frisou a importância do Simpósio no contexto em que Parnaíba está em constante desenvolvimento e por isso a necessidade de um evento com o foco em proporcionar aos advogados e as corretores de imóveis uma visão atualizada do cenário imobiliário no litoral do Piauí, além da troca de experiências entre os profissionais e assim enfatizando a parceria entre ambos. ‘’Advogados e corretores devem caminhar de mãos dadas’, comentou.

Com informações: Blog do B.Silva

Rafaella agosto 28, 2019 Nenhum Comentário

Corretores de imóveis participam de treinamento na sede da Caixa

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI) participou nesta terça-feira (27) do Treinamento de CCA (Correspondentes Caixa Aqui) e corretores de imóveis , no auditório da SR/PI. O evento teve como objetivo realizar um espaço de debate e capacitação para os profissionais associados ao Conselho, além de esclarecer dúvidas existentes quanto a parceira Caixa, Cofeci e CRECI.

O treinamento contou com a participação de vários corretores e consultores da Caixa. Flávia Sá, coordenadora do GILIE/FO (Gerência de Alienação da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL) coordenou o treinamento e ressaltou que: ‘’o foco do evento é a divulgação  dos imóveis  da Caixa, e deixar claro que a Caixa está disponível para receber corretores credenciados e correspondentes, e assim  ajudar  a Caixa  e desmobilizar o estoque de imóveis  que a mesma  tem disponível, além de mostrar oportunidades de negócios para que todos se beneficiem’’, disse.

O presidente do CRECI-PI, Nogueira Neto, esteve prestigiando o evento e afirmou que o treinamento era uma oportunidade de esclarecer dúvidas e buscar soluções para o avanço na capacitação dos corretores de imóveis. Ele também aproveitou para parabenizar todos os profissionais presentes pelo dia do Corretor de imóveis, que foi comemorado na data. “Nós temos que nos capacitar, pois cada vez mais o mercado está exigente, e eu parabenizo a vocês por estarem insistindo nesse meio, e por estarem focados em se capacitar cada vez mais’’, enfatizou o presidente.

assisitindo

A coordenadora do evento, Eva Vilma, afirmou que o evento é importante para os profissionais adquirirem novos conhecimentos, e ressaltou a oportunidade que é fazer parte do convênio Cofeci e Caixa.

povo

“É uma grande oportunidade estarmos aqui reunidos para debater o convênio entre o Cofeci e a Caixa. Quero aproveitar para convidar a todos os demais corretores para participar e interagir, com essa nova oportunidade de trabalho com a Caixa. Além de ser importante para esclarecer dúvidas, e reforçar o apoio, que é muito bom para nós.  Nosso objetivo é crescer cada vez mais, ampliar bastante o nosso conhecimento‘’, ressaltou.

O evento foi apenas o pontapé inicial para comemorar o Dia do Corretor de Imóveis, instituído no dia 27 de agosto.

Rafaella agosto 28, 2019 Nenhum Comentário

CRECI-PI promove capacitação profissional em comemoração ao Dia do Corretor     

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI-PI) promoveu a terceira edição do Ciclo de Palestras como forma de homenagear os profissionais pelo Dia do Corretor de Imóveis. A iniciativa teve o objetivo de disponibilizar aos profissionais associados ao Conselho um espaço de debate e capacitação profissional.

Nogueira

O presidente do CRECI, Nogueira Neto, fala da importância da entidade promover momentos de conhecimentos para a classe profissional. “É muito prazeroso porque acreditamos que o corretor tem que se transformar em um consultor imobiliário. Somente através da capacitação é que os profissionais vão alcançar esse patamar. Acreditamos que isso vem acontecendo a médio e longo prazo. Hoje já temos um considerável número de corretores que são consultores e estamos fazendo esse investimento na categoria para que a cada dia eles possam se tornar um excelente profissional”, disse o presidente Nogueira Neto.

Auditorio 2

Durante a realização do Ciclo, os presentes tiveram a oportunidade de debater importantes temas de interesse da classe como contratos Imobiliários, comunicação construtiva como ferramenta da negociação, além de CEMAC e suas múltiplas portas para resolução de conflitos.

Neilan

“O CRECI-PI sempre vem oferecendo condições que possibilite a valorização dos seus profissionais, e isso só é possível por meio do conhecimento. Essa é uma iniciativa bastante valiosa do nosso presidente Nogueira Neto em promover palestras dessa natureza. Ocasião em que podemos discutir pontos da mediação, conciliação e arbitragem para resolução dos conflitos”, afirmou a advogada e instrutora de Mediação e Arbitragem da OAB/PI, Neilan Argento.

O coronel Lídio Filho começou a atuar como corretor de imóveis após se aposentar do serviço público. Há mais de três anos ele trabalha no mercado imobiliário e afirma que ser corretor é uma profissão bastante valorosa. “A profissão possibilita uma visão mais ampla do mercado. Além disso, é muito importante a entidade disponibilizar espaços de conhecimento com palestras de alto nível. Sempre participo das atividades e hoje sou conselheiro da entidade”, declarou o corretor.

Outros temas discutidos durante as palestras foram: “Corretor de Imóveis: vendedor ou empreendedor?”, “Network: quando usar”, “Novo Cenário no Mercado com utilização do IPCA nos financiamentos Imobiliários e Imóveis Caixa – BNDU” e “Oportunidade de Negócio”.

Francisco Reinaldo

O presidente do Sinduscon Teresina, Francisco Reinaldo, foi um dos palestrantes e abordou o sistema financeiro de habitação da Caixa Econômica. “Em comemoração ao dia do corretor falamos sobre o novo programa que a Caixa lançou com a utilização do IPCA. Na palestra, fizemos um histórico sobre o sistema financeiro de habitação, pois entendemos que o tema é de bastante interesse devido as boas possibilidades de vendas daqui para frente”, destacou Francisco Reinaldo.

Auditório 03

O corretor André Ricardo atua no mercado imobiliário há dois anos e destaca a importância da instituição em sempre disponibilizar momentos de capacitação para os profissionais. “O Ciclo de palestras foi bastante importante, pois nos mostrou um pouco da realidade que encontramos diariamente no mercado. Discutimos pontos importantes como contratos imobiliários e como devemos tratar nossos clientes. E é isso que o mercado necessita, de corretores qualificados e que estejam aptos a participarem de eventos para engrandecer a categoria”, declarou o corretor.

Ao final do III Ciclo de palestras, os corretores presentes participaram de um coffee break como forma de homenagear os profissionais pela importância dos serviços prestados em prol do desenvolvimento do mercado imobiliário do Piauí.

Rafaella agosto 21, 2019 Nenhum Comentário

CRECI-PI realiza III Ciclo de Palestras em homenagem aos corretores de imóveis

Para comemorar o Dia do Corretor de Imóveis, instituído no dia 27 de agosto, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI) realizará o III Ciclo de Palestras no auditório da entidade. A iniciativa tem o propósito de promover um espaço de debate e capacitação para os profissionais associados ao Conselho.

Na oportunidade, serão discutidos importantes temas de interesse da classe como Contratos Imobiliários, que será ministrado pela Advogada e Consultora Jurídica de Imobiliárias, Patrícia Pinheiro. Já a mediadora judicial e extrajudicial, Socorro Sales falará sobre a comunicação construtiva como ferramenta da negociação. E a economista e especialista em finanças empresariais Kelly Gonçalves discutirá o tema Corretor de Imóveis: vendedor ou empreendedor?

O evento ainda contará com a participação do diretor pedagógico do CRECI-PI, Inácio Antônio, que conduzirá um bate-papo sobre Network: quando usar. As advogadas e instrutoras de Mediação e Arbitragem da OAB/PI, Bruna Pimentel e Neilan Argento, também irão marcar presença e abordar o tema: “CEMAC e suas múltiplas portas para resolução de conflitos”.

Participará também do Ciclo de Palestras, o Diretor e Presidente do Sindicato da Industria da Construção Civil de Teresina(PI), Francisco Reinaldo, que irá ministrar uma palestra sobre o Novo Cenário no Mercado com utilização do IPCA nos financiamentos Imobiliários. Além da coordenadora do  GILIE/FO, Flávia Sá, que apresentará o tema ‘’Imóveis Caixa – BNDU. Oportunidade de Negócio’’.

Segundo o presidente do CRECI-PI, Nogueira Neto, o evento representa uma oportunidade de reconhecer o trabalho realizado pelos profissionais para o desenvolvimento do mercado imobiliário piauiense. “Esse é um momento muito especial, pois comemoramos mais um ano de regulamentação da nossa profissão que é uma das mais antigas. Nada melhor do que comemorar e disponibilizar aos nossos corretores um momento de debate e qualificação profissional, uma vez que precisamos sempre estar aptos para enfrentar as mudanças impostas pelo mercado”, afirmou Nogueira Neto.

A entrada para participar do III Ciclo de Palestras é gratuita e não precisa de inscrições. Mas, os corretores podem realizar de forma optativa a doação de 01pct de leite. O evento tem início as 14h30 no auditório da entidade.

Palestrantes:

Patrícia Pinheiro

– Advogada e Consultora Jurídica de Imobiliárias, Administradoras e Condomínios;

– Membra da Comissão de Direito Imobiliário da OAB/PI.

Socorro Sales

– Advogada, Psicóloga e Mestranda pela Universidade Federal do Piauí (UFPI);

– Mediadora judicial e extrajudicial;

– Professora Universitária, Palestrante e instrutora de cursos.

Kelly Gonçalves

– Economista, especialista em Finanças Empresariais;

– Mestra em Administração e em Engenharia de Produção;

– Administradora de Benefícios;

– Palestrante e Articulista na Revista Fecomércio;

– Fundadora e diretora administrativa financeira da Associação Mulheres d’Negócios do Piauí;

– Autora do livro Empreendedorismo Feminino: Fatores de influência na gestão eficiente e Coautora do livro Empreendedoras de Alta Performance do Piauí.

Inácio Antônio

– Diretor Pedagógico do CRECI-PI para o triênio 2019/2021;

–  Perito Avaliador Judicial, palestrante do curso de TTI-Técnico em Transações Imobiliárias no Senac e Genoma;

–  Professor do curso de Avaliações de Imóveis e Perícia Imobiliária do CRECI-PI;

– Graduando em Negócios Imobiliários e Pós-graduando em Docência Superior.

Bruna Pimentel

– Advogada. Especialista em Civil e Processo Civil;

–  Instrutora de Mediação Judicial do CNJ;

– Mediadora Extrajudicial e Judicial;

–  Gestora Operacional do CEMAC- CRECI/PI;

–  Instrutora dos cursos de Mediação e Arbitragem da OAB/PI e Palestrante.

Neilan Argento

– Bacharel em Direito;

–  Especialista em Gestão de Conflitos;

– Mediadora Judicial e Extrajudicial;

– Gestora Operacional do CEMAC-CRECI/PI;

– Instrutora de Mediação e Arbitragem da OAB/PI e Palestrante.

Flávia Sá

– Coordenadora GILIE/FO;

Francisco Reinaldo

– Engenheiro Civil;

– Diretor Presidente do Sindicato da Industria da Construção Civil de Teresina – PI;

– Membro da Comissão de Assuntos Legislativos da Associação Industrial do Piauí ;

– Vice Presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção – CBIC.

 

WhatsApp Image 2019-08-21 at 15.47.32

 

WhatsApp Image 2019-08-21 at 15.47.32 (1)

Rafaella agosto 13, 2019 Nenhum Comentário

Lei federal dispensa Habite-se para casa popular linear construída há 5 anos ou mais

O governo federal publicou  a Lei 13.865, que dispensa o Habite-se para construção residencial urbana unifamiliar, térrea, que tenha sido terminada há mais cinco anos e que esteja situada em área ocupada, em grande parte, por população de baixa renda. A medida vale somente para residências, não lojas ou sobrados.

A nova legislação — publicada no Diário Oficial da União — altera a Lei 6.015, de 31 de dezembro de 1973 (Lei de Registros Públicos), que passa a vigorar com o seguinte acréscimo:

“Art. 247-A. É dispensado o Habite-se expedido pela prefeitura municipal para a averbação de construção residencial urbana unifamiliar de um só pavimento finalizada há mais de 5 (cinco) anos em área ocupada predominantemente por população de baixa renda, inclusive para o fim de registro ou averbação decorrente de financiamento à moradia”.

A lei sancionada é decorrente do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 164/2015, aprovado pelo Congresso Nacional, que pretende agilizar e baratear a regularização de casas térreas populares. Com isso, fica dispensada a apresentação do documento de Habite-se no processo de averbação das construções unifamiliares.

A averbação de um imóvel é a mudança de informações no seu registro em cartório. Esta é necessária sempre que o dono faz uma nova construção ou demolição, realiza uma grande alteração estrutural, tem uma mudança em seu próprio estado civil ou transfere a propriedade para outra pessoa.

Fonte: Extra Globo

Rafaella agosto 12, 2019 Nenhum Comentário

A importância da escritura na compra de um imóvel

Para comprar um imóvel, não basta apenas encontrar o apartamento ou a casa dos sonhos e negociar com o proprietário a sua venda. Alguns aspectos ao longo do processo, como a escritura, são essenciais para que a negociação seja concluída com sucesso, evitando que cause transtornos no futuro.

Essas questões são importantes porque se trata de um bem de alto valor, que costuma ser levado por toda a vida. E ninguém quer investir alto para correr qualquer risco de perder o bem. Portanto, é preciso ter atenção à escritura do imóvel, que é o documento que garante a validade jurídica do negócio e o direito à propriedade. Saiba a importância da escritura no processo de compra e venda de um imóvel.

Análise

Muitas pessoas levam em consideração a importância de fazer um levantamento da situação do imóvel antes de fechar negócio, processo relevante para evitar problemas no futuro.

“É preciso analisar o histórico, tirar certidões, saber como está em relação aos débitos, verificar se existe algum processo ajuizado, se existe alguma multa, vários detalhes relevantes. Todas as informações devem ser levantadas para que não haja nenhuma surpresa depois”, explica o advogado Bruno Tibúrcio, especialista em Direito Civil, com enfoque em Direito Imobiliário, do escritório Tibúrcio e Cavalcanti.

Gastos

Não havendo nenhum impeditivo, o processo tem sequência e é preciso estar preparado para outros gastos que vão surgir. A questão é que muita gente acredita que o valor a ser desembolsado é apenas o custo do imóvel e não se organiza para os demais custos para regularizar a aquisição do bem.

“Existem as taxas cartoriais e o ITBI (imposto de transmissão de bens imóveis). E é fundamental saber não apenas o valor de avaliação do imóvel como também a avaliação da prefeitura do município do imóvel porque as partes podem ter acertado um valor,mas constar outro mais alto na avaliação da prefeitura, o que vai acabar recaindo sobre o ITBI e fazer subir consideravelmente”, explica o advogado.

Programação

Com tantos gastos para dar conta, muita gente acaba optando por adiar a escrituração porque não se programou para estes custos. “Na hora de fazer a escritura, ele se depara com custos altos a pagar, que variam de acordo com o valor do imóvel e também de cidade para cidade. O comprador não procurou saber antes e na hora de transferir o bem para o seu nome, acredita que é um valor absurdo a ser pago”, acrescenta Bruno Tibúrcio.

Importância

O adiamento da escritura vem porque a partir do momento que tem o contrato de compra e venda, o novo proprietário já tem os direitos sobre o imóvel. Mas a escritura é capaz de evitar qualquer tipo de problema futuro.

“Os reflexos de ter a escritura são mais importantes do que a finalidade dela porque, com ela, o comprador passa a ter direito real sobre o bem, o direito à propriedade é incontestável. Ele tem o domínio e a posse e, por consequência, a propriedade. Ou seja, a importância de ter a escritura se dá muito pelo que ela impede, já que se tiver o documento, em alguns casos, pode ter mais dores de cabeça no futuro”, ressalta o advogado.

Ele ainda reforça que a escritura torna a negociação pública e ninguém poderá se opor a qualquer tipo de direito real sobre a propriedade porque há conhecimento de domínio público sobre o bem.

Cartório

Para dar entrada na escritura, é preciso ir até o cartório, solicitar os custos e a documentação necessária. Certidões serão solicitadas e, por isso, a importância da análise prévia se está tudo certo em relação ao imóvel. Será preciso pagar o ITBI.

Quitados todos os encargos, a escritura será lavrada e, depois de assinada pelas duas partes e pelo tabelião, deverá ser registrada na matrícula do imóvel no registro de imóveis. O registro na matrícula é o momento que se dá a propriedade do imóvel ao comprador em definitivo.

Fonte: Zap Imóveis

Rafaella agosto 2, 2019 Nenhum Comentário

Financiamento sem entrada: é possível?

Na maioria dos casos, dar um valor de entrada é fundamental para um financiamento, mas existem algumas exceções

A compra de um imóvel requer um planejamento financeiro muito grande, principalmente por se tratar de um investimento de alto valor e que vai comprometer parte da renda por muitos anos. O mais comum é que as pessoas que vão adquirir um apartamento ou uma casa necessitem de um financiamento para conseguir parcelar o valor total do imóvel.

Porém, ainda assim, em muitos casos é exigida uma entrada inicial, montante que nem todos têm para disponibilizar no momento da compra. No entanto, existem algumas exceções e, com elas, é possível comprar o imóvel sem precisar dar entrada.

O financiamento através do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) engloba imóveis no valor de até R$ 1,5 milhão em todo o país e ele pode financiar até 80%. Isso significa que ainda é exigida uma entrada de 20% do valor do imóvel a ser adquirido.

“Não existe uma restrição nas normas do SFH que envolva os recursos da poupança ou do FGTS para financiar 100%. Mas isso é uma liberalidade que os bancos preferem não oferecer porque se ele acaba financiando o imóvel de uma pessoa que não dá nada de entrada, é uma relação muito tênue”, explica Celso Petrucci, economista-chefe do Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo (Secovi-SP).

Porém, segundo Thiago Melo, vice-presidente da Associação das Empresasdo Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE),existe uma maneira de amortizar esse montante. “É possível comprar sem colocar a mão no bolso com a quantia da entrada. Isso é possível se o saldo do FGTS cobrir o valor dos 20% do total do imóvel que está sendo comprado”, afirma.

Para usar o FGTS para abater o valor do financiamento, é preciso cumprir algumas regras, como não ter outro financiamento através do SFH, não ser proprietário de outro imóvel residencial e urbano na região que mora ou que trabalha e, além disso, deve ter contribuído por pelo menos três anos, podendo ser consecutivos ou não de trabalho, na mesma empresa ou em locais diferentes.

Outro meio beneficia as famílias com renda mais baixa através do “Minha Casa Minha Vida” (MCMV). O programa do Governo Federal oferece condições atrativas e os contemplados pelo Faixa 1 do MCMV, que são famílias com renda de até R$ 1.800 mensais, conseguem comprar um imóvel sem dar entrada.

A faixa conta com subsídios oriundos do Orçamento Geral da União (OGU) que pagam até 90% do valor dos imóveis. Ou seja, fica faltando financiar 10%, que pode ser feito em até 120 meses com a Caixa Econômica Federal, com prestações que variam de R$ 80 a R$ 270, a depender da renda bruta familiar.

Para conquistar esse direito, é preciso se cadastrar na prefeitura do município. Isso é necessário porque a demanda para imóveis na Faixa 1 é maior do que a oferta, então o candidato precisa ser sorteado pelo órgão responsável para conseguir os benefícios. Estas condições são possíveis porque o próprio imóvel serve como garantia.

“E os repasses do banco são feitos ao longo da obra para a construtora. Esse crédito associativo vai disponibilizando os recursos de acordo com o andamento da obra. Cada percentual que ela vai sendo concluída, o repasse vai sendo liberado”, explica Thiago Melo.

Celso Petruccio ainda alerta para a opção do consórcio para a compra de um imóvel. “Você compra as cotas e você escolhe o valor mensal que quer pagar. Quando você for sorteado, vai continuar o mesmo valor da prestação mensal e vai o financiamento daquele montante que foi comprado. Ou seja, é algo que consegue se programar financeiramente”, conclui.

Fonte: Zap Imóveis

Rafaella agosto 2, 2019 Nenhum Comentário

Redução das taxas de juros contribuem para boa fase do mercado imobiliário    

Depois de enfrentar tempos difíceis, devido à crise financeira que atingiu o país nos últimos anos, o mercado imobiliário em 2019 começa a dar sinais de recuperação. A redução dos juros no crédito imobiliário e a ampliação nas formas de renegociação são alguns fatores que estão contribuindo para a mudança no mercado.

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI-PI), Nogueira Neto, destaca a importância dos fatores para o desenvolvimento do setor imobiliário. “O mercado enfrentou anos bastante complicados devido à crise econômica que atingiu nosso país. Porém, desde meados do fim de 2018 a realidade do setor começou a mudar com o crescimento do número de vendas concretizadas. Assim, a redução dos juros e ampliação das renegociações são ferramentas importantes para a realização de bons negócios e recuperação do mercado imobiliário neste ano”, afirmou Nogueira Neto.

A redução nas taxas de juros, além de ser um fator importante para o aumento do lançamento de novos empreendimentos e para vendas de imóveis novos, também pode ser fundamental para aquecer o segmento de imóveis usados, por meio do aumento da cota de financiamento. Tais medidas, servem sobretudo para beneficiar as pessoas que adquiriram imóveis por meio do programa Minha Casa, Minha Vida.

Os próximos cinco anos prometem ser bastantes rentáveis para o mercado, onde por meio da queda da inflação, crescimento do produto Interno Bruto (PIB) e principalmente com a redução das taxas de juros, as construtoras terão maior capacidade para investir em novos empreendimentos.

Segundo pesquisa realizada pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em 2018 os lançamentos residenciais apresentaram significativas melhorias com um aumento de 30% quando comparado ao ano anterior. Isso também se reflete nas vendas de imóveis que apresentaram um crescimento de aproximadamente 23%.

 “Estamos passando por um momento de recuperação de mercado, onde a redução dos juros e as novas possibilidades de negociação vão ser determinantes para o aumento de lançamentos de novos empreendimentos e incremento nas vendas. Somado a isso, a Caixa Econômica Federal promete lançar em breve condições ainda menores de financiamentos imobiliários o que será fundamental para reforçar nossas expectativas no setor imobiliário”, disse o presidente do Creci-PI, Nogueira Neto.