Pacto de ética - Crédito Divulgação
Rafaella setembro 3, 2018 Nenhum Comentário

As três maiores organizações imobiliárias do continente americano, a norte-americana NAR (National Association of Realtors), o Sistema Cofeci-Creci, do Brasil, e a Confederação Imobiliária Latino-americana (CILA), firmaram o primeiro acordo transnacional de ética do setor imobiliário. Juntas, as instituições representam 20 países. Firmaram na cidade de San Jose o Pacto Costa Rica del Código de Ética de Bienes Raíces, durante o 3º Congresso Imobiliário Latinoamericano. Na plateia, cerca de 300 corretores de imóveis de 18 países.

O acordo internacional tem seis pontos chaves. No primeiro, define-se que irão criar um código de conduta único para os profissionais imobiliários respeitando as diferenças culturais e as ideologias econômicas das nações signatárias. O segundo ponto determina um roteiro básico de ética nas transações imobiliárias. Sem adesão a esses quesitos, nem empresas nem profissionais poderão atuar nos países do bloco.

No terceiro item os 20 países firmam um compromisso de diálogo e coordenação de trabalho constantes, sob a direção das entidades Cila e NAR. Para efetivar esse objetivo, irão promover seminários e congressos sobre ética e levar conhecimentos e experiências adquiridas em outros segmentos da economia para o setor imobiliário.

O quarto ponto do acordo trata de capacitação ética imobiliária. Neste item destaca-se a necessidade de fortalecer o setor imobiliário direcionando-o à criação de programas de ética e integridade. No quinto compromisso, especifica-se a elaboração de um manual de ética profissional imobiliária, complementando-o com o sexto ponto, que é a criação de mecanismos de avaliação e certificação de condutas éticas entre profissionais e empresas imobiliárias.

“O nivelamento dos conceitos éticos entre os países americanos previne conflitos e confere segurança jurídica a todos os envolvidos em uma transação imobiliária. Hoje os negócios ocorrem entre países com a participação de profissionais do setor imobiliário de diferentes procedências e referências culturais distintas. Para evitar confrontos esse pacto estabelece um código de ética a ser adotado no continente inteiro”, explica o presidente da CILA, Luiz Fernando Barcellos, que é brasileiro e atua no mercado imobiliário global.

Barcellos foi eleito presidente da Cila na condição de representante do Sistema Cofeci-Creci na instituição latino-americana. O Sistema Cofeci-Creci é membro fundador da Confederação. Sua participação é um parte das iniciativas de ampliar o mercado global para os profissionais brasileiros e de realizar uma ação de fiscalização preventiva junto a potenciais parceiros e clientes internacionais: ao compor organizações internacionais, a autarquia brasileira difunde a legislação vigente em nosso país e converte o que poderia ser uma atuação irregular em nossa região em parcerias produtivas entre corretores de imóveis brasileiros e estrangeiros.

Foto – Ofélia Ulloa, VP Norte da CILA e organizadora do evento; Luiz Fernando Barcellos, Presidente da CILA e VP de Avaliações do COFECI; Carlos Alvarado Quesada, Presidente da República de Costa Rica; Ana Seydi López, Presidente da CCCBR – Cámara Costarricense de Corredores de Bienes Raíces; Joseph Schneider, Diretor de Global Alliances da NAR – National Association of Realtors

Fonte: Engenho Criatividade & Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *