Rafaella março 24, 2017 3 Comentários

Caixa inicia credenciamento de corretores para comercialização de imóveis retomados

CLIQUE AQUI PARA VER O EDITAL DE CREDENCIAMENTO 2476/2015

Podem participar deste procedimento, as pessoas jurídicas interessadas cujo objeto social seja compatível com o objeto do presente Credenciamento

Uma equipe da Caixa Econômica Federal (CEF) – Filial Piauí esteve reunida com os membros do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI) para apresentar o cronograma inicial do processo de inscrição para que corretores possam comercializar imóveis retomados pela instituição bancária. De acordo com um dos gerentes de filial da Caixa, o prazo para que os profissionais se credenciem é até o mês de abril.

“As empresas e corretores conveniados poderão apresentar a documentação e se credenciar pelo site da Caixa, onde já tem um link disponível para esse serviço, até o dia 30 de abril. Após esse prazo, a instituição bancária fará uma análise dos documentos para verificar se estão aptos para comercializar os imóveis. Como se trata de um processo licitatório é obrigatório que todos os inscritos estejam regulares e cumpram os prazos”, explicou o gerente Mercio Calazans.

O presidente do CRECI Piauí, Nogueira Neto, afirmou que os corretores que tiverem dúvidas ou dificuldade no procedimento junto à Caixa podem buscar auxílio no Conselho. “O que nós recebemos foi uma amostra da documentação necessária para o credenciamento, bem como esclarecimentos por parte da CEF e a apresentação do edital da licitação, que também estará disponível aos corretores no site da Caixa. Nesse convênio é muito importante os profissionais estarem com a documentação correta, para que possam aproveitar o benefício ofertado”, disse.

06

Ainda segundo a Caixa, os imóveis retomados pela instituição bancária estarão disponíveis para venda direta. Cada propriedade será exclusiva de um corretor sorteado, que terá um período para realizar a comercialização. “O que nós, como instituição de financiamento, é nos aproximar dos corretores para que possamos firmar uma parceria e assim, estarmos prontos para a avançar com esse projeto. São muitos imóveis que serão disponibilizados e nós queremos diminuir esse número expressivo de empreendimentos retomados”, finalizou Raul Gomes, Gerente Regional da Superintendência Regional do Piauí.

Já são mais de 20 mil propriedades em carteira, com previsão de ingresso de outros 20 mil imóveis ainda neste ano. De acordo com um levantamento preliminar da Caixa, a maioria são imóveis residenciais, de um, dois e três dormitórios. O valor médio das propriedades é de aproximadamente R$ 250 mil.

01

Rafaella março 21, 2017 Nenhum Comentário

Instituições solicitam a retirada de PLs que dispõem sobre o aumento das taxas cartoriais

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI Piauí) e outras instituições como a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, CREA-PI e AIP, estiveram reunidos, na tarde de segunda-feira (20), com o governador do Estado do Piauí, Wellington Dias, para debater sobre as taxas cartoriais.

Os projetos de Lei propõem novas taxas para o Fundo de Modernização e Aparelhamento da Defensoria Pública (FMADPEP) e para o Fundo de Modernização do Ministério Público (FMMP-PI), ambos correspondendo a 5%, totalizando 10% a mais no valor dos emolumentos cobrados com os serviços realizados em cartórios.

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI), Nogueira Neto, destacou que com o aumento das taxas, as regularizações fundiárias de Teresina se tornariam mais burocráticas.

O governador Wellington Dias afirmou que se reunirá com o presidente da ALEPI, Themistocles Filho, para averiguar os projetos de lei, se colocando à disposição para encontrar um ponto de equilíbrio.

d1ad89d1-f671-435e-9de4-25a827c70e25

O presidente da OAB-PI, Chico Lucas, explicou que o valor da taxa do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI) ao Fundo Especial de Reaparelhamento e Modernização do Poder Judiciário Piauiense (FERMOJUPI) passou de 10% para 20%, em 2016.

“Nesse momento, já temos um problema social muito grande. Teresina é um dos municípios que possui o maior número de imóveis irregulares. Com a aprovação dessas leis, os valores das taxas aumentariam para 30%, o que acarretariam uma série de prejuízos aos cidadãos. Nós, enquanto entidade que zela pelos direitos da cidadania, entendemos como inconstitucional e solicitamos que esses projetos de lei sejam retirados da pauta da Assembleia”, declarou o presidente da OAB-PI, Chico Lucas.

O presidente Chico Lucas ressaltou ainda que o Ministério Público e a Defensoria Pública não possuem competência para fiscalizar os serviços realizados nos cartórios.

[Fonte: OAB-PI]

 

Rafaella março 7, 2017 Nenhum Comentário

CRECI e Corregedoria buscam celeridade na regulamentação fundiária do Estado

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI/PI) esteve reunido com o Corregedor Geral de Justiça, Ricardo Gentil Eulálio Dantas, e o juiz auxiliar da Corregedoria, Julio Cesar Garcez, para tratar sobre um pleito de melhorias dos serviços cartoriais e discutir a regularização fundiária em todo o território do estado do Piauí.

Representando o Conselho, o presidente Nogueira Neto falou sobre os procedimentos de registro e o trabalho de fiscalização feito em todos os municípios do Piauí. “Diante da consciência que temos como categoria de corretores, precisamos resolver a situação do nosso Estado. As questões políticas dos municípios estão interferindo diretamente na regularização, algo que precisa ser combatido”, explicou Nogueira.

O juiz auxiliar Júlio Cesar, explicou a situação do Piauí quando legalização de terras.  “O Estado está com regularização zero em alguns municípios, Teresina apresenta algumas áreas já regularizadas e a pretensão é fazer um redimensionamento dos cartórios para desafogar os trabalhos relacionados as terras. Muita gente, por exemplo, não utiliza o usucapião, uma regra prática de regularização diretamente nos cartórios”, disse.

IMG_0563

O Usucapião Administrativo, trata-se de uma ferramenta eficaz, sendo esta uma forma originária de aquisição da propriedade, na qual o interessado já detém a posse do imóvel. O interessado deverá procurar um advogado de sua confiança para que este possa orienta-lo sobre os procedimentos e documentação necessária para dar início ao procedimento.

Diante da dificuldade constatada nos municípios na regularização de terras, a Corregedoria solicitou que fossem planejados eventos de conscientização e de cunho objetivo. “O que foi acertado é que as entidades voltadas para esta causa tenham um entendimento prático desse assunto e passe a usufruir desse importante procedimento. Nós vamos começar a agir e buscar parcerias para promover simpósios e reforçar junto à sociedade o dever de regularizar terras em todo o Estado”, finalizou Nogueira Neto.

Segundo o Corregedor Geral de Justiça, Ricardo Gentil Eulálio Dantas, a regularização fundiária é uma preocupação do Tribunal e é relevante trabalhar e dar celeridade ao processo, bem como ter resultados no Estado. “Algo de suma importância é reunir as categorias e levar esta informação para quem tem interesse. Nós, como corregedoria, somos a favor desse projeto e nos dispomos a ajudar nessa disseminação”, disse Dantas.

IMG_0568